[conto] Sanguinária Chapeuzinho Parte 2 (final)


Poder, vingança, solidão, orgulho pesar e lágrimas é o que resta para ela



- Desgraçado! Como pude não perceber desde o início, mesmo estando tão perto?! Mostre sua verdadeira face homem-lobo!
         Sem ter mais como esconder, o jovem que na verdade era o braço direito do líder dos homens-lobo assume sua verdadeira aparência. Porém já não havia muito que fazer, pois o corte recebeu era muito profundo e sangue jorrava incessantemente.
- Argh! Com um golpe desses não me resta mais forças nem para ficar de pé; mas eu já esperava um fim desse tipo... E você Elizabeth, tão linda, mas infelizmente por causa de ambições demoníacas você foi facilmente cega pelo ódio e por terríveis mentiras. Mas logo você saberá de tudo.
         Essas foram as últimas palavras ditas por ele antes que tivesse sua cabeça decepada pela enfurecida assassina de homens-lobo. O colar de presas caninas de Sanguinária Chapeuzinho estava quase completo.
- Agora que só resta o maldito líder, vou colocar um ponto final nisso de uma vez por todas e satisfazer minha vingança!
         Com um único pensamento em mente, ela atravessou toda a floresta para ir de encontro ao líder Fenris Lupan; e levando com ela, a cabeça recém-decepada do leal Tundara Rufus. Em poucos instantes, Sanguinária chegou onde se encontrava sentado, o líder dos Chacais Noturnos
         Um silêncio ensurdecedor tomou conta daquele cenário. Segundos que superavam qualquer eternidade. O derradeiro encontro que não mais podia ser adiado aconteceu. O líder Fenris tinha uma aparência que superava de longe em imponência e poder qualquer um dos seus já mortos semelhantes.
         Antes que alguma palavra pudesse ser dita, ambos lentamente se aproximaram um do outro sem que nem por um segundo deixassem de se olhar; em seguida ficaram parados e Sanguinária com um gesto de desprezo e sarcasmo jogou a cabeça de Tundara Rufus próximo as patas do líder.
         Fenris olhou por um curto instante com uma expressão de pesar. Ao voltar sua visão para Sanguinária Chapeuzinho, essa já estava partindo para cima dele com todas as forças. Só que incrivelmente o líder Fenris não expressou se quer um gesto de resistência. Ficou totalmente estático. Sanguinária parou seu ataque quando sua adaga estava a apenas alguns milímetros da garganta de Fenris:
- Porque você hesitou menina? Não é o que vem fazendo há um pouco mais de dois anos? Não é o que você tanto anseia? Acabar com nossa raça?
         Inquieta com aquela situação, Sanguinária retrucou:
-Eu não entendo! Agora que estou diante de completar meu objetivo... Tão fácil dar um fim na sua vida e por um ponto final nessa história. Tem alguma coisa que não me deixa fazer isso antes que eu confirme uma incerteza. Conte-me o que sabe. Tudo; mas se estiver mentindo eu saberei e aí não terei misericórdia!
         Fenris calmamente se afastou e encostou-se em uma árvore. E, com mais calma ainda ele começou a revelar o verdadeiro passado da caçadora de homens-lobo:
- Escute com atenção e peço que não diga nada até que eu termine de contar tudo. Nenhuma palavra sequer que sairá de minha boca é mentira. Você, Maria Elizabeth é filha Aeon Damarco e Suzana Margareth. Seu pai foi o líder dos Chacais Noturnos antes de mim enquanto sua mãe era uma das poucas bruxas que se tinha conhecimento nessas terras.
         Eles se apaixonaram quando se encontraram pela primeira vez há dezesseis anos. Aqui; na Floresta dos Gritos Perdidos. Naquela época os Chacais Noturnos costumavam ser muito mais violentos do que são agora. Porém graças a sua mãe que fez um acordo com seu pai, Os Chacais Noturnos foram proibidos de tirar a vida de pessoas inocentes e ficaram responsáveis por eliminar todos os indivíduos considerados nocivos para a cidade. Tudo parecia ir bem e não demorou muito para que você nascesse. Com sangue de bruxa e homem-lobo correndo em suas veias, em pouco tempo você se tornaria muito mais poderosa que seus pais. Você era motivo de orgulho para todos nós. Por sua causa, Aeon Damarco se retirou do posto de líder deixando essa responsabilidade para mim e abandonou nosso grupo para viver na cidade junto com você e Margareth. Como uma família normal; e depois disso nós só o víamos nas luas cheias quando ele não podia manter a forma humana e vinha para a floresta. Mesmo vivendo na cidade, ele jamais deixou de ser quem realmente era. Foi um líder incrível.
Mas todos esses momentos felizes vieram abaixo quando você completou um ano. Quando ela apareceu e provocou o massacre no qual até hoje todos acreditam ter sido causado por nós...
         Bem no momento em que Fenris iria dizer o nome da causadora do massacre, ele foi interrompido por uma lança que atravessou seu corpo. Sanguinária estava em choque com tudo o que tinha acabado de ouvir. Tanto que não conseguiu esboçar nenhuma expressão ao ver o líder dos homens-lobo cair inconsciente. Ao perceber a direção de onde lança foi disparada ela vê uma figura jamais vista antes; uma mulher madura, alta, magra, de longos cabelos ruivos e olhos escuros. Usava um comprido vestido preto e sua pele era tão branca que parecia clarear a escuridão da floresta. Estava coberta por uma aura de cor púrpura e com tanta maldade no olhar quanto em sua alma poderia caber. Sanguinária Chapeuzinho com a voz um pouco trêmula, disse em alto tom:
- Não faço a menor idéia de quem seja ou o que pretende aqui, mas é melhor se explicar por que atacou ele!
         A misteriosa e nada amigável figura responde com um brando e sarcástico tom de voz:
- É assim que você se dirige a sua avó que te ama tanto Chapeuzinho... Ou melhor, Maria Elizabeth?
         Não demorou muito para que Sanguinária desse conta do que realmente estava acontecendo ali; Fenris estava para revelar a verdadeira responsável pelo massacre de quinze anos atrás e foi interrompido por aquela mulher que dizia ser a avó dela.
-Vovó? É a senhora? – Indagou a menina ainda com a voz um pouco trêmula – Não entendo... Essa aparência! O que está acontecendo aqui?
- Não se faça de idiota sua pirralha! Você já sabe muito bem o que está acontecendo! Só não quer aceitar isso! E pensar que faltou tão pouco para que meu plano fosse concluído sem que eu precisasse interferir; mas você tinha que amolecer quando estava tão perto de acabar com esse verme. Isso mesmo! Fui eu, a bruxa Madalena quem causou aquele massacre de quinze anos atrás! Meu principal objetivo com isso era dar um fim ao clã dos Chacais Noturnos.
         Quando eu soube que minha filha estava se envolvendo com o antigo líder do clã, fiquei indignada a ponto enlouquecer de ódio. Ao perceber que meus argumentos eram inúteis, tive que recorrer à força bruta para separá-los. Porém, no dia em que fui tirar a vida de Aeon Damarco, minha filha interferiu. Minha própria filha tinha se voltado contra mim para ajudar uma criatura de raça tão desprezível! E por causa disso, o pior aconteceu. Por forças maiores fui obrigada a matar minha querida Margareth...
         Já seu pai Aeon, conseguiu escapar com você e te trouxe aqui para a floresta. Se eu viesse atrás de vocês sozinha, seria certa minha morte, então antes de deixar a cidade, usei um poderoso feitiço de distorção mental; fiz todos acreditarem que os homens-lobo foram os causadores daquela chacina. Mas o preço disso foi caro de mais. Um feitiço tão forte como aquele, me custou anos para recuperar meus poderes de volta. E, foi nesse meio tempo que te encontrei. Foi muita sorte! E com seu poder, que transcende o de um homem-lobo e uma bruxa, me livrar desse bando de feras miseráveis, seria uma questão de tempo. E pensar que para isso só bastou te contar uma mentira e fazer uma carinha triste. Tão poderosa, mas tão ingênua...
         Naquela hora, antes que Madalena pudesse terminar sua revelação, algo estranho aconteceu; uma estranha aura tomou conta de Sanguinária ao mesmo tempo em que seus olhos escureceram totalmente enquanto suas unhas cresceram como garras e brilharam fortemente.
-Você disse que eu tenho o poder que transcende os homens-lobo e bruxas... E se aproveitou desses poderes para objetivos tão egoístas e desumanos... Nem mais uma palavra será dita aqui. Esta floresta vai ser seu túmulo!
         Naquele instante uma batalha insana e épica teve início: magias poderosas e violentos golpes cheios de poder se colidiam, acompanhados de gritos, rugidos e estrondos. Tudo isso fez parte do cenário de um duelo que parecia jamais ter fim. Porém o fim chegou em um último magnífico ataque desferido por Sanguinária que reduziu sua avó bruxa a nada além de cinzas.          Além de muitas feridas e sangue, a vitória dessa batalha caótica custou também para Sanguinária um braço e um coração partido pela dor e remorso.
         Quase sem forças ela tentou ajudar o líder Fenris, mas era inútil. A ferida causada pela lança de Madalena foi fatal. Antes que ele desse seu último suspiro, disse para Chapeuzinho:
- Fico feliz de poder dizer antes de partir que mesmo depois de tudo o que aconteceu, você sempre será parte de nossa família. Você é filha de um grande guerreiro e se tornou uma guerreira extraordinária. E a partir de agora, o único legado dos homens-lobo que restou corre em suas veias; deixe o mundo saber a verdade sobre nós. Deixe o mundo conhecer a nossa história! E assim poderemos descansar em paz. Feito meu último pedido, aqui me despeço. Adeus Maria Elizabeth.
         Naquele momento, estava tudo acabado. Nada mais além de gritos e uivos foram ouvidos na noite banhada pela melancólica chuva e pelas lágrimas de Maria Elizabeth.
         

Não eram gritos de raiva, mas sim de pedido de perdão.

Não eram uivos de uma mulher-loba; mas sim de uma criança clamando de tristeza pela solidão que ela acabara de abraçar. A solidão da última bruxa; da última Chacal Noturna.


4 comentários:

  1. Amigo querido, eu venho te ler com mais calma, hoje à tarde, com certeza; vim só para agradecer a tua mensagem L´a de forç, adorei viu...Às vezes é melhor parar d e escrever um pouco, senão passamos muitas "coisas negativas" e eu ando com depressão e atolada d e serviço...
    Por isso, voltando do almoço vou para a sala de aula e te mando muitoos beijos. Foste o pimeiro e manifestar solidariedade e isso importa muito.
    Tchazinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Mery! Sei que quando você está ausente na blogosfera é por motivos muito sérios e você tem toda a razão. Às vezes é melhor parar de escrever, resolver as prioridades na vida, colocar melhor as ideias no lugar. Sei você prefere mandar postagens com conteúdos positivos (apesar de que nem sempre as situações permitem).

      Mas enfim, estou sempre por aqui (não tão presente quanto gostaria) mas mesmo se for apenas com palavras ou qualquer outra coisa ao meu alcance, pode contar comigo viu!

      Forte abraço menina!

      Excluir
  2. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, obrigado pela visita Morgan. Será sempre bem vindo aqui para apreciar as postagens e compartilhar suas ideias.
      E sim vou visitar seu blog tá?
      Grande abraço

      Excluir

Obrigado por comentar e compartilhar seu pensamento comigo. Sua participação no blog é muito importante!

Mas lembre-se: Uma boa comunicação é a base para manter as boas relações entre nós seres humanos. Interaja, participe, comunique-se, mas sempre com respeito, educação e consciência. Fica a dica! =)

related posts plugin for wordpress, blogger…